Ilha do Sal, Cabo Verde - Sal Island, Cape Verde

Ilha do Sal — Guia completo de um dos melhores destinos de Cabo Verde

Cabo Verde é composto por dez ilhas, mas a Ilha do Sal é talvez o destino mais conhecido deste país africano.

Durante uma semana percorri esta pequena ilha, de Norte a Sul, Este a Oeste, para conhecer as suas principais atrações.

Se procura um destino de praia, onde pode praticar vários desportos aquáticos, desbravar trilhos de jipe, comer pratos deliciosos e conviver com um dos povos africanos mais simpáticos do mundo, então, continue a ler!

1. Conhecer a Ilha do Sal

Como comecei por dizer no início deste guia de viagem, a Ilha do Sal é uma das dez ilhas que compõem Cabo Verde.

Sendo uma das mais pequenas, com uma superfície total de 216 km², não são necessários muitos dias para conhecer as principais atrações da ilha.

As paisagens são secas e até algo desoladoras, provocadas pela sua proximidade ao continente africano e à sua exposição aos ventos fortes que trazem as areias do Sahara.

A Ilha do Sal permaneceu desabitada até ao séc. XIX, altura em que se iniciaram as operações de extração de sal, na localidade de Pedra de Lume.

Apesar da sua origem vulcânica — vai ter essa perceção mais abaixo, quando lhe falar de Pedra do Lume —, o Sal é uma ilha relativamente plana, sendo que a maior elevação é o Monte Grande, que atinge 405,3 m de altitude.

Outros factos a ter em conta:

  • O Sal tem 39 mil habitantes (segundo uma previsão do Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde);
  • A língua oficial é o português, embora também seja falado o dialeto local: o criolo;
  • A moeda é o escudo cabo-verdiano, mas a maioria dos preços aparecem também em euros;
  • As quatro localidades mais habitadas na Ilha do Sal são Espargos, Santa Maria e Palmeira;

2. O que fazer no Sal

Numa ilha tão pequena, era de pensar que não houvesse muitas coisas para fazer. Mas o Sal oferece uma série de atividades, ainda mais se for amante de desportos aquáticos.

Pedra de Lume, Sal, Cape Verde

→ Visitar as Salinas de Pedra de Lume

Pode dizer-se que Pedra de Lume esteve na base do povoamento do Sal. Isto porque, apesar da ilha ter sido descoberta em 1460, manteve-se inabitada até 1796, altura em que Manuel António Martins, comerciante abastado da época, começou a exploração do sal naquele lugar e a ilha começou a ser habitada.

O início da história de Pedra de Lume e da exploração de sal naquele território é a mesma de tantas outras terras africanas (e não só), construída à base do trabalho de escravos e mão-de-obra explorada, da qual hoje ninguém se orgulha.

As infraestruturas posteriormente ali criadas resultaram numa sociedade industrializada que teve a sua maior expressão no início do séc. XX, com a construção de um longo teleférico, moinhos mecânicos, uma central elétrica, entre outros.

As salinas de Pedra de Lume são um cenário sus generis. Localizadas dentro da cratera de um vulcão extinto, o branco e o rosa provocados pelas águas salinas que ali se encontram contrastam com a paisagem castanha e seca que as envolve.

As antigas estruturas do teleférico ainda se encontram imponentes no local e indicam o caminho a tomar quando se deixa a estrada principal, rumo à entrada na mina.

O lugar está hoje voltado para o turismo, já que esta é uma das principais atrações da ilha. Por tal, a entrada é cobrada e no interior existe um pequeno complexo constituído por um bar/loja e uma zona de spa, com duche e cadeiras para descansar e apreciar a vista.

As salinas podem ser percorridas pelo caminho que as atravessa ou em redor, junto à margem, mas a verdadeira atração está em tomar banho naquela água. A sensação de boiar em águas salinas é extraordinária, muito semelhante à experiência que se pode ter no Mar Morto, no Médio Oriente.

Cavalos nas salinas de Santa Maria, Ilha do Sal - Horseback ridding near Santa Maria, Sal Island

→ Andar a cavalo pelas salinas próximas de Santa Maria

Numa ilha que tem o seu nome “Sal”, é natural que as salinas de Pedra de Lume não sejam as únicas neste território cabo-verdiano. A poucos quilómetros a norte de Santa Maria existe a Reserva Natural da Costa da Fragata, também ela com um complexo de salinas que se encontra hoje inativo. Esta paisagem protegida pode ser conhecida por carro através de trilho de terra batida (mantenha-se no percurso marcado e não faça off-roads, uma vez que está numa área protegida), mas a minha sugestão é que faça por aqui um passeio a cavalo.

Surf na praia da Ponta Preta - Surf in Ponta Preta, Sal island

→ Surfar a Ponta Preta

Quando se fala de surf em Cabo Verde, a Ponta Preta, na Ilha do Sal, surge como um dos ex-libris deste país.

Trata-se de uma onda que corre longa e perfeita para a direita, sobre fundo de pedra e água cristalina.

Eventualmente, pode seguir à beira-mar a partir de Santa Maria numa longa caminhada que vai além dos 30 minutos. Mas se quiser chegar mais rápido, então, o caminho faz-se pelos resorts, através de jipe por um trilho de terra batida.

A onda pode ir dos 150 aos 300 m de comprimento, mas, infelizmente, quando lá estive não havia ondulação, apesar deste lugar ser indicado como uma onda que funciona com frequência.

Ponta do Sinó, Sal, Cabo Verde

→ Caminhar na Ponta do Sinó

E já que falamos do caminho para a Ponta Preta, caso vá pela beira-mar, parte é feito pela Ponta do Sinó.
Este é um extenso areal que serve de frente de praia para inúmeros resorts do Sal e é também o ponto mais meridional da ilha.
Passando até um pouco despercebido, já que não apresenta o formato a que estamos habituados, está o Farol da Ponta do Sinó. Esta estrutura foi construída em 1892 e atinge os 9 metros de altura.

Escola de Kitesurf no Sal, Cabo Verde - Kitesurf school in Sal, Cape Verde

→ Aprender Kitesurf

Para além de ser um destino de surf, a Ilha do Sal é, sem dúvida, um paraíso para os amantes de desportos de vento, em especial o windsurf ou o kitesurf.

Pude comprovar isso na minha viagem, sendo o vento uma constante durante todo o tempo de estadia.

O potencial deste sítio para estas atividades é inegável e, por isso, multiplicam-se à beira das praias os centros de aprendizagem e aluguer de material. Se quiser experimentar um novo desporto de água e vento, está no sítio certo para ter a primeira lição.

Assistir à venda de peixe no Pontão de Santa Maria

É engraçado que, antes de ler qualquer coisa sobre o Pontão de Santa Maria, fui atraída àquele local enquanto passeava pelo centro da povoação. O vai-e-vem constante de cores e pessoas naquela estrutura chama por nós e temos que ir ver de perto o que lá se passa.

Dos jovens que estão a esculpir pedra e a transformar em pequenas tartarugas brancas, à rapariga que constrói pulseiras feitas de conchas, ao rapaz que toca na sua viola sons cabo-verdianos e, no final, as vendedoras de peixe que tiram as escamas ao pescado que acabou de ser trazido pelos barcos que encostaram no pontão. O ambiente é rico e movimentado e faz-nos sentir a cultura local.

DICA DE VIAGEM

Por baixo do Pontão de Santa Maria, junto aos seus pilares, aglomeram-se milhares de peixes. Pegue numa máscara de snorkeling e vá lá espreitar!

Comércio em Santa Maria, Ilha do Sal - Commercial street in Santa Maria, Sal Island

→ Comprar artesanato na Rua 1 de Junho

É a rua do comércio em Santa Maria e até se encontra cortada ao trânsito, por isso, é um bom sítio para passear e ver “como param as modas” na Ilha do Sal.

Procure as lojas que vendem artesanato local, como sacos, tecidos, vestidos, t-shirts e lenços com as cores e padrões que tanto caracteriza este país. Mas espreite também os ateliers com peças de artistas locais ou as lojas de trabalhos em madeira. Nestas últimas, que têm das esculturas às máscaras, é bem provável que não encontre nada de Cabo Verde, mas sim de outros países africanos.

Como está na rua do comércio, é natural que seja abordado pelos vendedores a tentarem atrair clientela para o interior das suas lojas.

Baía dos Tubarões - Shark Bay

→ Caminhar entre os tubarões na Shark Bay

Sim, leu bem, caminhar. A Shark Bay encontra-se a cerca de 10 minutos de jipe de Pedra de Lume e aqui é possível estar bem perto dos pequenos tubarões de recife.

Esta Baía dos Tubarões é mais um dos pontos turísticos da ilha e, por tal, desenvolveu-se todo um comércio local por ali.

Ao chegar somos abordados por “guias” que se oferecem para nos levar a ver os tubarões em troco daquilo que lhes quisermos dar. Na realidade, são um grupo de jovens que fazem daquela atividade o seu sustento e, da minha experiência, foram super simpáticos. Uma simpatia que, de resto, caracteriza os cabo-verdianos.

Para quem não tem, é disponibilizado calçado próprio e depois somos conduzidos até ao meio da lagoa com água que nos chega aos joelhos. Para quem tem mais dificuldade ou não está habituado a andar sobre recife, os guias ajudam a fazer o trajeto e a impedir desequilíbrios maiores.

Chegados ao local, o guia deita então isco para dentro de água e logo os tubarões-limão vêm ter connosco e podemos observá-los e senti-los em nosso redor.

O tubarão-limão pode atingir os três metros, mas o que observamos ali são as crias que permanecem em profundidade mais rasa vários anos antes de se aventurarem para águas mais profundas. Escusado será dizer que são animais inofensivos, porém, há que respeitá-los porque somos ali seus convidados.

Porto de Palmeira, Ilha do Sal - Palmeira Port in Sal Island

→ Visitar o porto de Palmeira

Pode dizer-se que Palmeira é a terceira localidade mais importante do Sal, mas há quem a considere mesmo a primeira, uma vez que possui um grande porto por onde chegam as principais embarcações à ilha. 

Este porto fervilha com atividade, não só com a chegada dos navios que trazem os bens essenciais para a população, como pelos barcos de pesca locais, os veleiros de quem anda a descobrir as várias ilhas de Cabo Verde ou que chega ali como porta de entrada no continente africano ou quem apanha uma embarcação para fazer um tour até à ilha mais próxima, Boa Vista.

Junto deste porto também encontra a Esplanada Roterdão, um restaurante típico, perfeito para comer peixe fresco ou a lagosta da sua vida. Mas para saber mais, espreite o meu artigo sobre os melhores restaurantes na Ilha do Sal. (nota: ainda vai ser escrito, mas fique atento!)

→ Mergulhar na Buracona

Outra das grandes atrações do Sal e uma das que mais gostei de visitar.

A Buracona fica no norte da ilha, a 5 km de Palmeira. Na estrada que leva até lá encontra várias setas a indicar o caminho, mas prepare-se porque é o percurso mais irregular que fiz de jipe durante a minha viagem à Ilha do Sal.

De tal ordem que a meio do caminho comecei a questionar se valeria o esforço… valeu completamente!

A Buracona é uma baía que integra uma zona de paisagem protegida e que se distingue por duas atrações: uma grande piscina natural e o chamado “Olho Azul”. Este último é um poço natural que, com a passagem da luz solar pelo orifício da rocha, cria um efeito de cor azul forte na água que se encontra em baixo.

Este efeito gera-se por volta do meio-dia e dura até às duas da tarde. Infelizmente, dada a altura do ano e a direção do sol, só consegui ver metade do efeito na água, mas deu para ter uma noção.

Para mim, a melhor parte desta visita foi poder usufruir da grande piscina natural. Aqui o fator sorte esteve a meu favor, uma vez que, nos dias em que o mar está grande, as ondas invadem a mesma e não é possível tomar banho. O que não se verificou no dia em que lá estive, com o mar mais pequeno e o sol a brilhar.

O recinto da Buracona tem ainda mais uma curiosidade: uma reconstituição das dez ilhas que compõem Cabo Verde. A do Sal está em especial destaque, como não podia deixar de ser, com uma plataforma para ver de cima os principais relevos morfológicos e localidades.

Espargos, Sal, Cabo Verde - Cape Verde

→ Subir ao miradouro de Espargos

Espargos não é propriamente o sítio mais atrativo para visitar, uma vez que é a localidade com maior densidade populacional da ilha. Porém, siga as setas que indicam o miradouro e que levam ao ponto mais elevado daquele lugar. Lá pode ter uma visão desafogada, não só de Espargos como dos seus arredores.

Mercado Municipal de Espargos - Espargos Municipal Market
DICA DE VIAGEM

Vá até ao Mercado Municipal de Espargos para ver as pinturas que se encontram no exterior do edifício. São representações dos comerciantes locais e são incríveis!

Monte Leão, Sal, Cabo Verde - Cape Verde

→ Fazer trilhos de jipe até ao Monte Leão

Na costa oeste da Ilha do Sal encontramos o Monte Leão, uma elevação montanhosa que nos acompanha no horizonte sempre que fazemos a viagem na estrada que liga Santa Maria a Espargos.

Mas o interessante desta zona é conhecê-la junto ao mar e, para isso, há que optar por trilhos de terra apenas feitos dentro de um todo-o-terreno.

A ideia é que entre pela localidade da Murdeira e comece a subir junto ao litoral até ao Monte Leão. Esta é também uma boa zona para surfar, por isso fique atento. 😉

Quando chegar a Monte Leão pode voltar para trás ou então seguir caminho, primeiro até Fontona e, depois, até Palmeira.

DICA DE VIAGEM

Durante toda a viagem usei a app Maps.me para me orientar pelos trilhos de terra a percorrer com o jipe. Descarregue o mapa da Ilha do Sal e fique atento a todos os caminhos tracejados que ele mostra.

Calheta Funda, Sal, Cabo Verde - Cape Verde

→ Ir a banhos na Calheta Funda

A Calheta Funda é uma pequena baía a 5 km de Santa Maria e é bem possível que a encontre deserta a maior parte das vezes. Não é de fácil acesso, sendo aconselhável, sem dúvida, fazer o caminho de jipe. Mas uma vez lá, e não havendo ondas, vai encontrar um paraíso para ir a banhos.

Não tive tempo de fazer snorkeling, mas acho que este pode bem ser um sítio ideal para o fazer. No entanto, tome as devidas precauções se for a banhos. Como disse, este é um local não vigiado e bastante deserto, longe da localidade mais próxima, por isso, tenha cuidado.

3. Provar os sabores de Cabo Verde

Ir ao Sal e não experimentar o prato típico local é impensável! Estou a falar da famosa cachupa, pois claro. Esta feijoada cabo-verdiana ganhou fama além-fronteiras e por boa razão. Peça uma Cachupa Rica e para a mesa chega um prato muito completo que conjuga vegetais locais, como o feijão, o milho ou a batata doce, bem como, enchidos, frango e até peixe.
As melhores cachupas que comi foram no Café Criolo, em Santa Maria, e na Nortenhah, em Espargos.

Prato de cachupa cabo-verdiana - Cape Verdean cachupa dish

4. Onde ficar na ilha do Sal

O que não faltam são opções de estadia na Ilha do Sal. Sendo um dos destinos mais procurados em Cabo Verde, multiplicam-se os resorts e os hotéis em Santa Maria, o sítio mais turístico da ilha e o lugar para ficar.

Dependendo do valor que quiser gastar, pode optar por uma grande unidade hoteleira, na frente de praia, ou por um alojamento mais modesto, no interior da localidade.

Deixe que Santa Maria sirva de ponto de partida para conhecer todos os outros lugares de interesse no Sal.

Descubra os Melhores Hotéis em Santa Maria, Ilha do Sal

5. Como chegar e se mover

A chegada à Ilha do Sal, em Cabo Verde, faz-se por avião com aterragem no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral. O ideal é que alugue um carro antes da sua chegada, para quando aterrar tê-lo à sua espera.

Tenha a certeza que aluga de preferência um jipe caso pretenda descobrir a ilha por sua conta. É que tirando a estrada principal que liga Espargos a Santa Maria, o resto das vias são essencialmente em terra batida. A maioria com necessidade de ter tração às quatro rodas.

Caso não pretenda percorrer a ilha por si, opte por um táxi do aeroporto para o seu hotel. Depois, pode sempre fazer visitas aos pontos turísticos da ilha através de tours com operadoras locais.

Transporte a usar na Ilha do Sal - Transport to use in Sal Island, Cape Verde

6. Última nota

A última nota deste guia de viagem pela Ilha do Sal vai para os seus habitantes. Estes cabo-verdianos conquistaram-me pela sua simpatia e boa disposição. Sempre prontos a ajudar, mostraram ser os anfitriões perfeitos.

Desde o nosso carro que ficou atolado em areia e logo apareceu alguém para nos ajudar; aos responsáveis do hotel onde ficámos que nos deram um quarto para descansarmos, enquanto esperávamos a hora de ir para o aeroporto; à querida Sofia, uma vendedora nata que fez com que os souvenires que trouxe tivessem ainda mais significado. Os cabo-verdianos do Sal estão habituados a um nível muito elevado de turismo e não é por isso que deixam de emanar simpatia, mesmo sem receber nada em troca.

Agora é a sua vez! Partilhe na caixa de comentários o que achou deste guia.

Se já esteve no Sal ou em Cabo Verde, partilhe a sua experiência. Se nunca foi, diga-me se é um destino que gostaria de visitar um dia.

Como sempre, o meu trabalho tem ainda mais valor se chegar a mais viajantes, por isso, partilhe este post nas suas redes sociais. Espalhe a palavra!

Gostou do Post? Faça PIN e Guarde para mais tarde!
Conheça tudo o que pode fazer na incrível Ilha do Sal, em Cabo Verde. Das atividades, aos sabores e gentes locais. Um artigo repleto de dicas a não perder.

Marlene é a criadora do Marlene On The Move. Jornalista de profissão, criou o blog para partilhar as suas aventuras, quer em Portugal, destino sobre o qual escreve para publicações digitais portuguesas, como no Mundo. Não é raro partir à descoberta de novos países e culturas com a prancha de surf como bagagem.

Post a Comment

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit sed.

Follow us on