Search here...
TOP
Portugal Surfar

10 surf spots incríveis na Madeira para explorar

surf na madeira
2760 Views

Se está apenas a dar os primeiros passos no surf, a Madeira não é o seu destino. Mas se o que procura são ondas desafiantes, num cenário fora deste mundo, então, coloque esta ilha portuguesa na sua lista de destinos a visitar.

Os fundos de rocha, as entradas e saídas difíceis e as ondulações fortes caraterizam o surf nesta ilha. Mas uma vez que sinta a energia daquelas ondas, vai querer voltar à Madeira uma e outra vez.

Não é à toa que surfistas experientes que costumam correr o tour mundial de ondas grandes já criaram base por lá.

Se acha que tem a experiência e a coragem que é preciso para enfrentar o surf na Madeira, continue a ler.

Porque é o surf na Madeira tão poderoso?

O surf na Madeira é conhecido pelas suas ondas poderosas. Em primeiro lugar, a localização da ilha no Oceano Atlântico expõe-na a ondulações consistentes geradas tanto pelas tempestades do Atlântico Norte como por sistemas meteorológicos distantes, resultando em grandes ondulações e num fluxo constante de energia das ondas. Além disso, o fundo do mar acidentado, com declives acentuados e formações vulcânicas, amplifica as ondas à medida que estas se aproximam da costa e do reef, criando ondas poderosas e muitas vezes ocas.

Quais são as melhores condições?

A melhor altura do ano para surfar na Madeira ocorre tipicamente durante os meses de outono, quando as ondulações do Atlântico Norte começam a ser mais frequentes. Durante esta altura, a costa oeste da Madeira ganha vida. As condições ideais envolvem frequentemente uma combinação de ondulação moderada e vento offshore.

Os melhores surf spots na Madeira

1. Jardim do mar

Jardim do Mar Madeira
Surfistas no Jardim do Mar Madeira

Se há onda que pôs a Madeira no mapa mundial de destinos de surf, essa é a do Jardim do Mar.

A cerca de 45 minutos de carro do Funchal, chega a uma vila costeira muito bonita que se espraia pela encosta e onde as ondas rebentam grande e velozes.

Com a construção de um paredão de proteção há alguns anos atrás, as entradas e saídas são feitas por um pequeno porto de pesca que não é meigo a quem se aventura. Aliás, o próprio piso é bastante escorregadio e há que acertar com os intervalos entre os sets para entrar (ou sair) do mar.

Mas uma vez lá dentro, as emoções correm soltas e pode bem apanhar as melhores (e maiores) ondas da sua vida.

Encontre o lugar ideal para ficar no Jardim do Mar.

2. Ponta Pequena

Ponta Pequena Madeira

Esta onda não é fácil de alcançar, uma vez que fica entre o Jardim do Mar e o vizinho Paúl do Mar. Para chegar à Ponta Pequena, a partir do Jardim, tem que calcorrear rochas irregulares durante uma boa meia hora, sob o perigo de algumas pedras que caem da falésia, ou a maré a subir. Há que ter timming. Mas o caminho até é muito bonito e indo com tempo e água, é um bom passeio (e exercício para as pernas).

Já a partir do Paúl do Mar, a chegada à onda da Ponta Pequena faz-se por mar. Ou seja, a partir do porto de pesca terá de remar cerca de meia hora para ir ao seu encontro. Mas, se tiver sorte, pode ser que haja algum pescador a sair para a faina e possa dar uma boleia até lá.

Não é fácil decifrar o tamanho do mar na Ponta Pequena. Só lá chegando é que vai perceber se tem “cabedal” para enfrentar aquelas ondas.

3. Paúl do Mar

Paúl do Mar Madeira

Falando no Paúl do Mar, recentemente foi construído um túnel que leva diretamente do Jardim do Mar até esta localidade piscatória, o que torna o seu acesso muito mais fácil.

A onda aqui é logo junto à marginal, rápida (muito rápida) e oca, perfeita para bodyboarders ou surfistas com muita experiência. Até porque o final dela é mesmo em cima das pedras da muralha que protege aquela parte da vila da rebentação do mar.

Encontre o lugar ideal para ficar no Paúl do Mar.

4. Ponta do Pargo

As extremidades da ilha da Madeira são dois lugares obrigatórios para visitar. Quer a Ponta de São Lourenço, a Este, como a Ponta do Pargo, a Oeste, guardam vistas e caminhos extraordinários para ir descobrir.

Mas o que talvez não saiba é que na Ponta do Pargo existe uma das ondas mais desafiantes da ilha.

Para lá chegar, há que descer cerca de 40 minutos a pé pela escarpa ou, então, arranjar um barco para alcançar o lugar via-mar.

Não há nada que enganar: as ondas por aqui são intensas, grandes e não pode contar com qualquer tipo de apoio em terra.

5. Achadas da Cruz

Seguimos rumo para as Achadas da Cruz e para alcançar este local tem que fazer a descida por um dos muitos teleféricos que existem espalhados pela Madeira.

Esta surfada requer alguma preparação. Informe-se sobre os horários do teleférico (variam de acordo com a altura do ano), saiba as marés e analise como vai estar o mar. A maré ideal para surfar vai depender do tamanho da ondulação no dia em que quer ir.

Mas, a verdade, é que mesmo que não acerte e as ondas falhem, este é um passeio bem bonito, por isso, meta a máquina fotográfica na mochila.

6. Seixal

A minha escolha de surf na Madeira!! 😅 Isto porque de longe tenho a experiência e know-how para enfrentar as restantes. O Seixal apresenta uma praia de areia preta protegida por um molhe, onde quebra uma onda muito rápida, mas mais tranquila que as restantes da ilha.

Porque a ondulação tem que dar a volta ao molhe para poder formar rebentação nesta praia, há que ir aqui apenas quando o mar está grande.

O cenário que envolve esta praia, desde à areia negra, às arribas massivas e, ao longe, a cascata do Véu da Noiva, faz com que o quebra na areia seja uma onda fenomenal.

Se chegar aqui e não houver ondulação, ao menos consegue tirar umas fotos incríveis!

Encontre o lugar ideal para ficar em Porto Moniz.

7. Ribeira da Janela

Ribeira da Janela Madeira

Não só a Ribeira da Janela é um onda super exigente como também o é o caminho para lá chegar.

Antes da antiga estrada regional ter sido encerrada e substituída por um conjunto de túneis que atravessam a ilha, esta era uma onda que estava mais no radar dos surfistas.

Porém, o encerramento desta via faz com que o caminho agora se faça por um antigo troço, em muito mau estado e bastante perigoso, uma vez que a queda de pedras é constante.

Já sobre a onda, é massiva, rápida e com entradas e saídas em pedra, o que se torna ainda mais desafiante caso a ondulação esteja grande.

Vai de carro alugado? Estacione debaixo do antigo túnel para evitar desgostos!

8. Fajã da Areia

Fajã da Areia Madeira

De todas as ondas da Madeira, à exceção do Seixal, a Fajã da Areia é aquela que se apresenta “mais amiga” das entradas, uma vez que, apesar de ser em pedra, as mesmas não são tão agressivas nem a rebentação tão forte logo à beira de água.

As ondas, apesar de fortes (não é raro ver pranchas partidas por aqui), são geralmente longas e boas para manobrar.

9. São Vicente

São Vicente, Madeira

Também na zona de São Vicente, perto do passeio marítimo e dos restaurantes, pode encontrar outra onda surfável. A praia é uma combinação de areia e rocha, e é melhor entrar na água durante a meia maré (ideal) ou na maré baixa, pois pode quebrar com força na areia durante a maré alta.

10. Lugar de Baixo

Lugar de Baixo Madeira

O Lugar de Baixo é a onda mais próxima do Funchal e, se por um lado o caminho até lá é mais rápido, padece do facto de ser uma das ondas com mais crowd (mais surfistas) da ilha.

O acesso há onda, apesar da entrada ser feita por seixos, é fácil e pode até gastar algum do seu tempo a estudar a onda a partir do bar de praia que existe mesmo à frente.

Este é um surf spot que funciona de meia maré a maré cheia, apesar de com esta última ter que lidar com o chamado backwash (quando a onda encontra a margem, volta para trás e vai contra à onda que se segue).

Apesar da onda ser estética — rebenta ao lado de um rochedo — e convidativa, não se deixe enganar. Ela quebra rasa e sobre um perigoso fundo de pedra.

Encontre o lugar ideal para ficar no Funchal.

Se chegou até aqui estará a pensar que, com as minhas descrições, o melhor será ficar em casa. Não o posso censurar, mas não podia deixar de mostrar todos os desafios que pode vir a enfrentar caso decida fazer surf na Madeira.

Por várias vezes me cruzei por lá com outros surfistas que se preparavam para entrar no mar, sem conhecer os perigos, com a prancha errada e sem a mínima noção das consequências.

Com isto não quero prejudicar o seu sonho de surfar esta bela ilha do Atlântico e tirar o melhor partido de cada momento. Quero, sim, prepará-lo para o que pode encontrar. Para que, no final, tenha uma surf trip memorável pelos melhores motivos.

Se vai fazer surf na Madeira, não se esqueça de fazer seguro de viagem
5% de desconto no seguro de viagem pela Marlene On The Move

“Mas eu sou surfista principiante e quero mesmo experimentar fazer surf na Madeira”

Se este é o seu caso, não me canso de repetir: não vá para a água sozinho! Se é principiante ou quer experimentar surfar pela primeira vez, procure uma escola de surf que o leve aos melhores spots para aprender, a fim de ter a melhor experiência.

Ficar num surf camp na Madeira também pode ser uma boa opção. Para além de oferecerem alojamento num ambiente descontraído, pode também ter aulas de surf e participar em atividades que o levarão a conhecer a ilha.

Se já esteve na Madeira e tem mais dicas para partilhar, ou nunca foi e tem dúvidas, use a caixa de comentários. Vamos conversar!

GOSTOU DO POST? Faça PIN e guarde para mais tarde
Descubra os desafios do surf na Madeira. Conheça as ondas que pode encontrar numa viagem a esta ilha portuguesa.

VAI VIAJAR?

Prepare as suas viagens com os parceiros do Marlene On The Move!

  • ✅ Faça o seguro de viagem Heymondo e tenha 5% de desconto.
  • 🏨 Use o Booking.com ou o Hostelworld para escolher a sua estadia favorita ao melhor valor.
  • 🚙 Alugue o carro na Rentalcars ou no Discover Cars e obtenha o melhor negócio.
  • ✈️ Encontre os voos mais baratos no Skyscanner, não importa o destino.
  • 🚉 Compre os seus bilhetes de transporte com a Omnio e evite as filas.
  • 📲 Compre o eSIM com a Airalo e esteja sempre conectado no seu destino.
  • 🎟️ Explore qualquer destino com os melhores tours da GetYourGuide.

Ao utilizar estes links ou outros colocados neste artigo para fazer as suas reservas, não vai pagar mais por isso e para mim faz toda a diferença! É com estas parcerias que consigo manter o blog, por isso, a sua ajuda é preciosa! Obrigada desde já!

Marlene On The Move

Marlene Marques

Marlene é a criadora do Marlene On The Move. Jornalista de profissão, criou o blog para partilhar as suas aventuras pelo Mundo. Não é raro partir à descoberta de novos países e culturas com a prancha de surf como bagagem.

«

»

6 COMMENTS

  • OLIRAF

    És a versão feminina do surfista e viajante Gonçalo Cadilhe. Na próxima vez que voltares à minha terra adotiva, a Ilha da Madeira, Marlene experimenta surfar na praia da Maiata ou Alagoa na acolhedora e simpática freguesia do Porto da Cruz (Machico) na Costa Norte da Ilha da Madeira.

    Beijinho. Boas Surfadas!

    • Marlene Marques
      AUTHOR

      Olá Rafael! Que grande elogio! 🙂 Muito obrigada! E já coloquei essas praias na lista. Próxima viagem vou lá de certeza! Beijinhos!

  • DANILO M HADEK

    Muita vontade de conhecer a Ilha da Madeira! Portugal é destino massa para suerfistas!

    • Marlene Marques
      AUTHOR

      Oi Danilo! Sem dúvida! Portugal tem ondas fantásticas, boa comida e boa gente! 😉 Só é pena a água ser um pouco fria… eheh

  • Irene Martins

    Obrigada, Marlene! Vou à Madeira de férias com o meu marido e queremos surfar. As tuas dicas são preciosas. Já agora aproveito para perguntar se é fácil alugar pranchas por lá ou será melhor levar?
    Adorei o nome do teu blog!

    • Marlene Marques
      AUTHOR

      Olá, Irene! Obrigada pelo feedback!!
      Sobre as pranchas, acho sempre melhor levar, até porque as ondas da Madeira são bastante exigentes e, na minha opinião, é melhor levar equipamento ao qual já estamos habituados
      Boa viagem!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!