Search here...
TOP
Destinos Portugal

9 razões para se apaixonar pela Ilha das Flores

Ilha das Flores_Flores Island
907 Views

Durante anos tinha na ideia visitar outras ilhas do Açores, nomeadamente, a Ilha das Flores. Até porque, pelo nome, sempre imaginei um pedaço de terra no meio do Atlântico repleto de flores de todos os géneros e cores. Uma espécie de Éden, com aves do paraíso e tudo.

O que encontrei não foi como o meu sonho, mas não é por isso que desiludiu. Bem pelo contrário!

A primeira imagem que hoje ainda me vem à cabeça é a de um filme bem conhecido das massas: o Avatar. É que, chegada à ilha e dirigindo-me onde ia ficar alojada, tenho uma imagem incrível de montanhas super verdes com inúmeras cascatas a escorrerem. O delírio!

Mas vamos por partes.

Sem querer ser demasiado ‘spoiler’, porque só vai conseguir ter esta mesma sensação de “Wow!” quando lá estiver, neste post vou dar-lhe algumas dicas sobre lugares imperdíveis da ilha.

Prepare-se para se apaixonar pela Ilha das Flores.

Primeiro, um pouco de história sobre a Ilha das Flores

Localizada no grupo ocidental do arquipélago dos Açores, sobre a placa norte-americana, a Ilha das Flores ocupa cerca de 140 km², sendo o seu ponto mais alto o Morro Alto com 914 m de altitude. Através do Ilhéu de Monchique, a ilha é o ponto mais ocidental de Portugal.

Ilhéu de Monchique Azores
Ilhéu de Monchique

As Flores, em conjunto com a ilha do Corvo, foram descobertas em 1452, por Diogo de Teive e o seu filho, João de Teive, quando retornavam da viagem de exploração à Terra Nova.

Durante muito tempo passou de mão em mão, foi invadida por corsários e visitada por baleeiros vindos dos Estados Unidos, que acabaram por deixar por lá a sua arte.

O momento de maior expansão para a ilha chegou em 1966, com a instalação da Base Francesa das Flores, que trouxe uma comunidade oriunda de França e, com ela, os seus costumes, bem como um hospital, uma central elétrica e um aeroporto.

Agora, tome nota destes lugares a visitar…

Poço da Ribeira do Ferreiro

Poço da Ribeira do Ferreiro

Começo pelo Poço da Ribeira do Ferreiro porque é um dos locais mais especiais na Ilha das Flores. O caminho que nos leva até este paraíso começa a partir da estrada junto da Ponte da Ribeira do Ferreiro.

O trilho, acidentado, está bem traçado e passa pelo meio de uma floresta verdejante e com cursos de água a correrem bem ao lado.

Por aqui, não há dúvidas: esta via dar ao Poço da Ribeira do Ferreiro e percorremo-la com a antecipação de descobrir o que nos espera no final.

E eis que surge uma grande lagoa que abarca a água que escorre de inúmeras cascatas que brotam de uma grande encosta também ela coberta de vegetação.

A calma que se vive por aqui (pelo menos assim o era no momento em que visitei este lugar) convida à introspeção. Sabe bem passar por aqui algum tempo absorvendo esta beleza.

Sete Lagoas

Não confundir com a Lagoa das Sete Cidades, na Ilha de São Miguel. Estas são mesmo sete incríveis lagoas espalhadas pelo Parque Natural das Flores, posicionadas no Planalto Central da Ilha.

Vai por aqui ver e encantar-se com as caldeiras Branca, Negra, Comprida e Seca, na área do Morro Alto, o ponto mais alto das Flores, as caldeiras Funda e Rasa, no sector sul do planalto, e ainda a Lagoa da Lomba, perto do Pico do Touro.

Todas elas são especiais e de dimensão considerável, repletas de vegetação nas imediações e uma série de espécies de aves que por ali andam.

Cascata do Poço do Bacalhau

É talvez uma das cascatas mais acessíveis das Flores, isto porque fica na Fajã Grande há vista de todos. Está mais ativa no inverno, com a água que escorre do centro da ilha, mas é no verão que pode tomar banho na lagoa que ali se forma.

Miradouro Craveiro Lopes

Sabe quando nos temos que distanciar das coisas para termos uma noção da sua grandiosidade?… assim o é no Miradouro Craveiro Lopes. Aqui tem uma visão desafogada da beleza paisagística e geológica da Ilha das Flores, já que daqui consegue ver várias das cascatas que escorrem pela arriba fóssil, lançar o olhar sobre a Fajãzinha e até percecionar de uma maneira diferente o Poço da Ribeira do Ferreiro.

Fajã Grande

Localizada no concelho Lajes das Flores, a Fajã Grande é o lugar a visitar — e até a ficar, como foi o meu caso —, principalmente na época de verão. A localidade oferece um interessante número de estadias, restaurantes e bares, que ganham ainda mais vida nessa altura.

Para além de ficar junto do Ilhéu de Monchique (lembra-se, o ponto mais ocidental da Europa), a Fajã Grande oferece um cenário de sonho, com uma arriba verdejante pintalgada de cascatas (entre elas o Poço do Bacalhau) e várias zonas para ir a banhos, entre as quais, um pequeno porto de águas azuis.

Fajãzinha

Vista Ilha das Flores - Flores island viewpoint

Ao lado da Fajã Grande vai encontrar a Fajãzinha. Esta pequena localidade está encaixada num vale e pode encontrá-la após atravessar uma estrada sinuosa.

Dê um passeio por aqui e encante-se com a igreja paroquial que data de 1778 e é até bastante grande, tendo em conta a dimensão deste povoado.

Surf na Ilha das Flores - Surf in Flores Island Azores

E há surf nas Flores?

Muito provavelmente, sim, como em todos os locais do mundo banhados pelo oceano. Mas há que procurá-lo e ter sorte com o dia em que se vai. A Fajã Grande e a Fajãzinha foram os dois lugares onde achei haver mais potencial de ondas a serem surfadas.

Mas, caso decida experimentar, tenha cuidado. O mar tende a ser bastante forte e o fundo de rocha ou o desconhecimento da onda podem dificultar a aventura.

Museu das Flores

Mesmo que não seja uma pessoa muito adepta de museus, não posso deixar de recomendar uma visita ao Museu das Flores, no Convento de Boaventura, em Santa Cruz das Flores. É que por aqui fica a conhecer a história da ilha, desde a sua descoberta, à chegada dos franceses e as várias atividades económicas praticadas desde o início do seu povoamento.

O museu não é grande, mas é muito interessante e vale bem a pena a visita.

Museu da Fábrica da Baleia do Boqueirão

Museu Fábrica da Baleia do Boqueirão - Museum

Este é o segundo núcleo afeto ao Museu das Flores e conta a história da baleação nas Flores. Ache-se ou não esta tradição piscatória bárbara, não deixa de fazer parte da história da ilha e de grande parte dos Açores. 

A pesca da baleia começou nas Flores em 1860, com técnicas trazidas pelos baleeiros norte-americanos, e teve a última captura assinalada em 1981, altura em que esta fábrica, datada do tempo da II Guerra Mundial, deixou de funcionar.

O museu, inaugurado em 2015, conta a história dessa pesca e dos homens que se faziam ao mar em pequenas embarcações para enfrentarem os gigantes dos mares.

Piscinas Naturais

Piscinas naturais - Natural pools - Azores islands

Ao lado do Museu da Fábrica da Baleia do Boqueirão encontra umas piscinas naturais incríveis e prepare-se para passar por aqui algumas horas. O lugar oferece vários pontos para entrar na água, com zonas até bastante fundas. Leve uns óculos de mergulho ou a sua GoPro para poder observar o fundo. Existem pequenos peixes por aqui que entraram com as ondas que invadem ocasionalmente estes reservatórios naturais.

Rocha dos Bordões

Se gosta de fenómenos geológicos tem que ir espreitar a Rocha dos Bordões.

Localizada na freguesia dos Mosteiros, no concelho de Lajes das Flores, procure um local chamado Cabo Baixo das Casas.

Esta grandiosa rocha destaca-se pelas suas colunas de basalto e pelo envolvimento natural de grande beleza.

Procure pelo Miradouro da Rocha dos Bordões para tirar umas boas fotografias deste monumento natural.

E como ir até à Ilha das Flores?

Para dizer a verdade, visitei a Ilha das Flores quando fiz um périplo por várias ilhas dos Açores, por isso, cheguei lá de avião, depois da minha aventura pela Ilha do Corvo.

Pode também apanhar um avião a partir de São Miguel, da Horta ou da Terceira. Uma vez na ilha, o meu conselho é que alugue um carro para poder circular pela ilha à vontade.

Por muito que escreva aqui sobre as Flores, nada fará jus à beleza natural desta incrível ilha dos Açores. Por isso, tome as dicas que lhe deixo aqui, reserve o seu voo e marque a sua estadia e prepare-se para passar dias inesquecíveis.

A Ilha das Flores é a mais bonita dos Açores e por bons motivos. Neste artigo vou-lhe mostrar porque é impossível não sair apaixonado de lá.

Já agora: o que achou deste post? Afinal, já conhece a Ilha dos Açores e tem outras dicas para partilhar? Deixe o seu testemunho na caixa de comentários em baixo.

VAI VIAJAR?

Prepare as suas viagens com os parceiros da Marlene On The Move!

Ao utilizar estes links para fazer as suas reservas, não vai pagar mais por isso e para mim faz toda a diferença! É com estas parcerias que consigo manter o blog, por isso a sua ajuda é preciosa! Obrigada desde já!

Marlene On The Move

Marlene Marques

Marlene é a criadora do Marlene On The Move. Jornalista de profissão, criou o blog para partilhar as suas aventuras pelo Mundo. Não é raro partir à descoberta de novos países e culturas com a prancha de surf como bagagem.

«

»

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!