Guia de Sobrevivência ao Web Summit

web summit guia de sobrevivência

Durante todo o ano, as viagens a outros países são muitas, mas, entre 4 e 7 de novembro, é o mundo que vai viajar até ao Web Summit, em Lisboa, Portugal!

Quem já assistiu àquele que é o maior evento tech no mundo sabe que são dias cansativos, de agenda cheia e muitas horas a andar de um lado para o outro. Mas existem pequenas dicas que pode ter em conta para enfrentar o Web Summit e trazer para casa apenas muito conhecimento e recordações de momentos bem passados.

Quer saber quais são? Ora, vamos a isso!

O que ter debaixo de olho nesta edição do Web Summit

Antes de irmos ao detalhe deste guia de sobrevivência, é importante saber primeiro os principais highlights desta edição do Web Summit.

Na realidade, são 20 palcos que estarão a apresentar oradores vindos dos quatro cantos do mundo. Da área tecnológica, ambiental, comunicação, desporto, moda, música… há um bocadinho de tudo para todos os gostos e interesses.

Na agenda deste ano foquei-me em vertentes que têm directamente a ver com áreas que me tocam como blogger de viagem ou no interesse que tenho sobre proteção ambiental. E, claro está, há nomes de peso que são incontornáveis, independentemente da nossa profissão ou crença.

Web summit attendees
photo: © Web Summit

Tal é o caso de Edward Snowden. Nome familiar para o mundo inteiro, este é o homem que arriscou tudo para revelar o sistema de vigilância (em massa!) levado a cabo pelo governo dos EUA. Na sessão de abertura deste Web Summit, no dia 4 de novembro ao final da tarde, Snowden vai falar por videoconferência a partir da Rússia para as mais de 70 mil pessoas esperadas no Altice Arena (fora as que estarão a ver a emissão online) e entrará em detalhes sobre a sua história, como ajudou a construir o sistema usado pelo governo norte-americano e o que o motivou a tentar derrubá-lo.

E falando em controlo de massas, Brittany Kaiser será outra das presenças a não perder neste Web Summit. A ex-directora do Cambridge Analytica, protagonista do documentário do Netflix “Nada é privado”, é presença confirmada em vários painéis, mas um dos mais concorridos será certamente o do Center Stage sobre a re-eleição de Donald Trump. A ver no dia 5 de novembro.

Ainda na sessão de abertura, no dia 4, tenho alguma curiosidade em assistir à intervenção de Jaden Smith. Parece que o filho do ator Will Smith, para além de ter seguido as pisadas do pai, tornou-se num ativista social e ambiental.

De resto, para a minha lista de to-see nestes dias de Web Summit entram conferências como:

5 de novembro
6 de novembro
7 de novembro
  • 21st century design is for everyone” – com  Melanie Perkins, da Canva (um dos programas online de design que costumo usar muito) – Creatiff / 11:15
  • “Are we facing water wars” – Planet:Tech / 12:10
  • “Why the ocean isn’t doomed” – com Dianna Cohen, da Plastic Pollution Coalition, e Garrett McNamara – Planet:Tech / 14:50
  • “Can brands save the planet?” – PandaConf / 15:20
  • “The promise and peril of the digital age” – com Brad Smith, da Microsoft – Center Stage / 10:30
  • “The 2020 marketing playbook” – PandaConf / 10:50
  • “Private messaging by design” – com Jay Sullivan, do Facebook – ContentMakers / 11:30
  • “How to win on social” – com Alex Chung, do GIPHY – PandaConf / 11:50
  • “The New York Times: Storytelling and brands” – ContentMakers / 12:50
  • “The business of GIF$” – também com Alex Chung, do GIPHY – ContentMakers / 14:35
  • “Marketing in 2020” – Center Stage / 15:10
  • “Baby shark: Creating a multi-billion dollar monster” – por pura curiosidade! – ContentMakers / 15:15
  • “Designing your brand to disrupt” – Center Stage / 11:10
  • “The power of influence” – ContentMakers / 12:35
  • “Branding content: How to do it right” – ContentMakers / 14:40
  • “How to win brands and influence people” – PandaConf / 15:35

Dicas a ter em conta

Parece muito para pôr na agenda? É porque é mesmo! E um dos maiores desafios que encontrei nas edições anteriores é conseguir assistir a tudo o que quero. Até porque muitos palcos estão longe uns dos outros e atravessar os pavilhões com milhares de pessoas a circular é, por vezes, um verdadeiro pesadelo!

Ora, aqui começam algumas das minhas dicas para enfrentar como um expert o próximo Web Summit.

Tenha a app sempre à mão

A app do Web Summit é, provavelmente, a ferramenta mais importante que pode ter e vale a pena tê-la sempre à mão.

Nela pode ir construindo a sua agenda com todas as conferências que quer assistir, com os palcos e horários, e ver quais se cruzam. O difícil vai ser mesmo decidir quais terá que deixar cair.

Na app encontra também uma lista completa de todos participantes (do voluntário ao grande convidado), com quem pode até meter conversa ou combinar encontros para melhor conhecer os seus projetos ou até apresentar o seu próprio unicórnio 😉

app web summit

Não deixe para a última hora

Como disse anteriormente, são esperados milhares e milhares de participantes no Web Summit, pelo que a altura da acreditação ou da entrada no recinto pode ser um verdadeiro pesadelo.

Saiba que, a partir do dia 2 e até ao dia 5, no Terminal 1 do Aeroporto de Lisboa, existe um centro onde pode fazer logo a sua acreditação sem ter que esperar pelo primeiro dia do evento. Fiz isto no ano passado e poupei bastante tempo em filas.

Tenha também em conta que, caso queira assistir à sessão de abertura desta edição, no dia 4, não chegue em cima da hora ou arrisca-se a ficar de fora.

O mesmo se aplica às conferências durante o período do evento. Se tiver uma determinada intervenção em mente, vá ter ao palco onde ela vai decorrer algum tempo antes desta começar. Quando o painel anterior terminar há muitas pessoas que se levantam e partem para a próxima, podendo assim ocupar uma cadeira e assistir àquela pela qual esperava.

web summit conference
photo: © Web Summit

Dress for success… mas não exagere!

Se vai ao Web Summit com o intuito de fazer contactos e, qui ça, conhecer as pessoas certas para impulsionar o seu negócio, pensar na primeira impressão faz todo o sentido.

Porém, esqueça a vestimenta mais rigorosa. Está entre pessoas ligadas à área tecnológica e é bem possível que se cruze com um CEO de calças rasgadas e All Stars. Não digo que se entregue ao desleixo da vestimenta de um domingo passado em casa, mas não é de todo necessário o fato e gravata ou o vestidinho preto. E, senhoras, esqueçam os saltos! Web Summit = kms e kms a correr de um lado para o outro! Calçado confortável é condição indispensável.

Alimentação

No Web Summit há sempre um food court, porém, quando estamos a falar de um evento com tanta gente, por vezes torna-se difícil conseguir comer alguma coisa. Especialmente, se for tentar a sua sorte à hora de almoço e se tiver pouco tempo entre as conferências que quer ver.

Ao lado do recinto do evento tem um centro comercial que reforça a oferta na zona, mas a minha sugestão é que leve consigo umas barrinhas energéticas e tente ir comer fora das horas mais concorridas.

Ah, e não se esqueça de manter os níveis de hidratação!

Circule pelos vários pavilhões

Nos intervalos das conferências não se esqueça de circular pelos vários pavilhões. Existem muitas empresas com stands interessantes. Passe pelas startups e perca um bocadinho de tempo para conhecer projetos inovadores que poderão um dia tornar-se gigantes. Se tiver um bilhete Women In Tech, saiba que o Booking.com volta a ter este ano um corner só para as mulheres. Um lugar fantástico para descansar de tanta correria.

Por último, tenha em atenção a programação do Night Summit. É que a “festa” continua por toda a cidade mesmo depois das conferências terminarem no Parque das Nações.

photo: © Web Summit

Como chegar ao Web Summit

Para chegar ao Web Summit nos dias do evento, esqueça levar carro. O estacionamento pode ser um inferno! Opte pelos transportes públicos.

O Metro de Lisboa já anunciou que vai reforçar a oferta e lançou também, em colaboração com a Carris e a CP, três passes especiais (que podem ser de 1, 3 ou 5 dias), que vão abranger as zonas de Lisboa, Sintra e Cascais.

Tenha também em consideração que, apesar de ser uma opção, serviços como o UBER estarão lotados e não será fácil arranjar transporte na hora de maior fluxo de participantes para e do evento.

Onde decorre o Web Summit?

E, pronto, estas são apenas algumas dicas que espero que tornem a sua experiência no Web Summit a mais agradável possível. 

Para quem não conseguiu bilhete para esta edição ou não pode estar presente, eu vou lá estar e tentarei partilhar convosco alguns dos melhores momentos. Para acompanhar nos stories do IG! 😉

E vocês, já foram a alguma edição do Web Summit? Têm algumas dicas para partilhar? Adorava saber! Deixem na caixa de comentários em baixo.

Está a pensar ir ao Web Summit? Saiba o que se vai passar e todas as dicas para enfrentar o maior evento tech do mundo.
Gostou do Post? Faça PIN e guarde para mais tarde

VAI VIAJAR?
Prepare a sua viagem com os parceiros do Marlene On The Move!

↣ Use o Booking.com e escolha a sua estadia favorita aos melhores preços;
↣ Antes de viajar, faça o seguro de viagem com a IATI. Eles oferecem a melhor cobertura para viajantes e ainda tem 5% de desconto por ser leitor/a do Marlene On The Move;
↣ Pague todas as despesas de viagem com o cartão Revolut e poupe nas taxas bancárias;
↣ O seu voo atrasou ou foi cancelado? Consulte a Compensair e saiba se pode ser compensado.

Ao utilizar estes links para fazer as suas reservas, não vai pagar mais por isso e para mim faz toda a diferença! É com estas parcerias que consigo manter o blog, por isso a sua ajuda é preciosa! Obrigada desde já!

Comments