10 atividades incríveis para fazer em Óbidos (e mais 3 de bónus!)

Óbidos Portugal

Óbidos é provavelmente a vila medieval mais conhecida de Portugal. Não há quem a resista. É certamente a mais bem preservada e a que mais dinamiza o espaço que possui.

Para quem não conhece esta vila, a pouco mais de uma hora de Lisboa, Óbidos tem uma história que remonta aos tempos dos celtas, romanos e mouros, foi prenda de várias rainhas (veja a caixa em baixo) e hoje é conhecida pelas suas livrarias.

Mas se já lá foi e, como eu, não foi muito além da Rua Direita, saiba que existem inúmeras atividades que pode fazer e que lhe vão apresentar uma vila medieval completamente diferente. Foi assim na minha última visita.

Vista Óbidos View

Sabia que…

Óbidos é chamada de “Vila das Rainhas” porque foi dada por D. Dinis à Rainha Isabel como presente de casamento. A partir daí, a vila medieval passou a integrar o dote de todas as rainhas portuguesas até 1834.

O que ver e fazer em Óbidos

1. Ir até ao Castelo de Óbidos

Quando passamos pela autoestrada e à medida que nos chegamos à beira da vila medieval, o Castelo de Óbidos é o primeiro a chamar a atenção.

Este é certamente o local mais óbvio para ir e também um dos mais incontornáveis.

A fortaleza data do séc. XII e mistura vários estilos, desde o gótico ao manuelino, românico e barroco. Este monumento nacional português, que já foi eleito uma das 7 Maravilhas de Portugal, está em perfeito estado de conservação.

Palco de vários eventos que têm lugar na vila, é um prazer subir às muralhas do castelo e percorrê-las por mais de 1 km,  lançando um olhar sobre Óbidos.

Castelo de Óbidos Castle
Castelo de Óbidos

2. Entrar nas igrejas e capelas

Óbidos é caraterizada por várias igrejas e capelas, quer dentro como fora da muralha. A mais conhecida é a Igreja de Santa Maria. Esta igreja matriz fica no centro da vila, no largo onde antigamente se fazia a feira onde os locais vinham vender os seus produtos. O interior é lindíssimo, quer pelos trabalhos em azulejo, como pela obras da artista Josefa de Óbidos (ver caixa em baixo) que podem aqui ser apreciadas.

Mas se entrar para as ruas interiores encontra outros templos, como a Igreja da Misericórdia, a Igreja de São Pedro ou a Capela de São Martinho, que é hoje utilizada para fins de exposição.Já fora da muralha, logo à entrada da vila, encontra a Igreja de São João Baptista, a qual chegou a ser um hospital, e, um pouco mais longe, o imponente Santuário do Senhor Jesus da Pedra.

Santuário Senhor da Pedra Sanctuary
Santuário Senhor da Pedra
Pintura Josefa de Óbidos Painting

Quem foi Josefa de Óbidos?

Josefa de Óbidos foi uma pintora filha de pai português e mãe espanhola, que viveu a sua vida na Quinta da Capeleira, em Óbidos, local onde também produziu grande parte da sua obra e que a elevaram como uma das grandes artistas do barroco. Ficou conhecida pelas suas pinturas de natureza morta, mas também pelos trabalhos de cariz religioso.

3. Visitar as livrarias da vila

Óbidos assumiu há não muito tempo a marca de vila literária, isto porque, desde 2013, implementou um projeto de reabilitação de edifícios e espaços públicos, transformando a localidade num pólo cultural e literário.

Assim nasceram uma série de livrarias e espaços de inspiração literária, que trouxeram uma dinâmica completamente diferente à vila. Para além da venda de livros, é frequente a realização de exposições de arte, concertos, conferências e espetáculos. Dois grandes eventos acontecem anualmente sob o selo Óbidos Vila Literária: o Latitudes, um festival dedicado à literatura de viagens; e o FOLIO – Festival Literário Internacional, um dos mais importantes realizados em Portugal.

Por isso, visitar as livrarias de Óbidos é um dos pontos altos de uma viagem até aqui. As que destaco e aconselho sem dúvida são a livraria do Mercado Biológico e a Livraria de Santiago.

A primeira encontra-se a meio da Rua Direita e ocupa o antigo quartel dos bombeiros. Este é um espaço de alfarrabistas e livros em segunda mão, expostos em caixas de fruta como homenagem à agricultura local. O seu nome vem do facto de dividir o espaço com um mercado onde pode encontrar os melhores produtos biológicos da região.

Siga depois a Rua Direita até ao fim e encontra a Livraria de Santiago. No interior de uma das igrejas mais emblemáticas da vila, datada do séc. XII, o serviço religioso deu lugar à exposição e venda de obras literárias, projeção de filmes, debates ou um simples espaço para beber um café enquanto desfolha um livro.

Mercado Biológico Óbidos Bookstore
Mercado Biológico
Livraria Santiago Óbidos Bookstore
Livraria Santiago

4. Passear de charrete por Óbidos

Visitar Óbidos é já por si fazer uma viagem no tempo. Por mais visitantes que partilhem o espaço connosco, não conseguimos nos abstrair da história que emana  deste local. Conseguimos mesmo imaginar a vivência de outros tempos naquelas ruas e em todo o património edificado.

Na minha última visita à vila medieval tive, contudo, uma nova experiência que intensificou ainda mais esse sentimento. Tive a oportunidade de percorrer as ruas da vila a bordo de uma charrete.

Guiada pelo Sr. Zé e dois lindos (e bem tratados) cavalos — o Bo e o Escuro —, da Charretes do Oeste by Green Services, percorri as ruas e ruelas de Óbidos, parando nos locais mais emblemáticos da vila e sentido o que seria fazer aquela localidade a bordo de um veículo de época.

De facto, tive o privilégio de embarcar na “Mylord”, uma charrete vis-a-vis (assim chamada porque os ocupantes viajam frente-a-frente) que foi construída em 1845 em Paris, pelas mãos de artesãos portugueses que emigravam por serem exímios na técnica de construção deste tipo de transporte.

Uma experiência única!

Passeio de Charrete Óbidos

5. Perder-se a fotografar as ruelas medievais

Se há local fotogénico em Portugal, esse é Óbidos. Para onde quer que olhemos não resistimos a puxar da máquina fotográfica — ou do telemóvel —, e captar imagens incríveis.

Do comércio típico e colorido da Rua Direita, às casas de ombreiras às cores e envoltas em flores, das portas de acesso à vila ou as panorâmicas do topo da muralhas, podemos levar horas nisto e trazer para casa memórias visuais que ficam para sempre.

Ruas de Óbido Streets
Loja Óbidos Store

6. Fazer um tour guiado

De há uns anos para cá, e à medida que viajo mais, tenho aprendido que se queremos de facto aprender sobre um sítio, um monumento ou museu, o melhor é optar por um tour guiado. Podemos fazê-lo com audio-guia, como aconteceu quando visitei os museus do Vaticano, ou conduzido por um especialista. Claro que esta última opção é a melhor, até porque podemos sempre fazer perguntas e aprender tanto mais.

Foi assim em Óbidos! Na companhia do Ivo Soares, da Silver Coast Travelling, percorri alguns dos principais pontos históricos da vila, mas também muitos caminhos menos óbvios. A ideia desta empresa é sair da rota normal, embrenhando-nos naquilo que acredito ser a verdadeira Óbidos.

Depois, o Ivo é um verdadeiro poço de conhecimento e não faltaram muitos factos históricos mas também muitas curiosidades que nos ajudam a conhecer melhor o espaço.

Tour Óbidos Portugal

7. Fazer um piquenique nas muralhas

Ora cá está uma atividade que provavelmente nunca tinham pensado fazer em Óbidos: um piquenique nas muralhas!

Sim, a vila está repleta de bons locais para comer (já lá vamos), mas estando bom tempo, porque não ter uma refeição a olhar Óbidos de cima? É essa a proposta do Capinha D’Óbidos!

Vamos por partes e começar por lhe apresentar este estabelecimento que já se tornou num ícone da Rua Direita. Se procura pão acabado de fazer e bolos divinais, este é o local a ir.

As receitas aqui são partilhadas de geração em geração, desde 1883, e o negócio mantém-se na família.Adaptando-se aos tempos modernos, o Capinha D’Óbidos prepara agora piqueniques e pequenos-almoços que podem ser levantados e consumidos num dos belos pontos de observação da vila. Cestas coloridas e repletas de coisas boas que tornam a visita à vila medieval portuguesa ainda mais especial.

Sabia que…

O “C” do logo do Capinha D’Óbidos vem da forma da ferradura, o ex-libris deste estabelecimento. Reza a tradição que este era o bolo das noivas, a recordação do casamento. Depois de o oferecer aos convidados, a noiva guardava um para si até durar… e dura bastante tempo!

8. Provar a famosa Ginjinha de Óbidos

Ir a Óbidos e não experimentar a ginjinha, é como… bem, nem sei como é porque isso é impensável acontecer!

A Ginjinha de Óbidos é um marco nesta vila do Oeste de Portugal. Dizem que não foi ali que nasceu, mas foi certamente adoptada como a bebida por excelência deste local.

Este líquido licoroso, com a quantidade certa de álcool e doce, não deixa ninguém indiferente e se for provado em copo de chocolate… sem palavras!

Praticamente todos espaços comerciais, restaurantes, bares e hotéis têm este licor para provar, por isso, não é difícil de encontrar. Difícil será ficar só por um cálice…

Ginjinha de Óbidos
A famosa Ginjinha de Óbidos

9. Comer nos melhores restaurantes de Óbidos

Há tanto para ver e fazer em Óbidos que vai certamente chegar a hora em que a fome aperta. E onde ir? A vila já tem uma bela oferta no que toca a restaurantes, mas há três espaços que me conquistaram na minha última visita e que recomendo vivamente.

O primeiro é o Avocado. Se opta por vegetariano ou é fã de comida saudável, este é o espaço a ir. O difícil será escolher o que comer, já que a oferta é grande e variada. Dos hamburgers aos wraps e bowls, tudo tem um aspeto (e sabor) incrível. E se quiser pode sempre optar por um prato de dia ou até por um brunch.

A outra sugestão é o Restaurante Lounge. Por aqui vinga a boa comida portuguesa, não fosse o dono, professor de culinária. Comida honesta, confeccionada com bons produtos e cheia de sabor, a um preço justo e com um atendimento fantástico.

Por último, o Jamon Jamon. Começou por ser um pequeno espaço de petiscos e hoje tornou-se num dos restaurantes incontornáveis em Óbidos. Os petiscos continuam na carta, que se abre agora para outros pratos fantásticos de carne e peixe. Peça para ficar na esplanada se o tempo estiver bom ou opte por uma das pequenas salas castiças no interior.

10. Acordar a olhar a muralha

Se pensa que pode visitar Óbidos num único dia pode ter razão, mas garanto que vai deixar muitas coisas por ver e fazer. O que sugiro é que fique a dormir na vila e faça o passeio com mais calma.

Na minha visita fiquei alojada no Josefa D’Óbidos Hotel, mesmo junto à muralha do castelo. É ideal para fugir da confusão do centro da vila e pertíssimo de tudo o que interessa. Basta estacionar o carro e pode então fazer tudo a pé.

O hotel, que nasceu em 1986, está hoje todo renovado e oferece um ótimo serviço, sem nunca perder o atendimento familiar.

E fora de Óbidos?

Há também coisas fantásticas para fazer! Aqui ficam três dicas extras para si:

Visitar o Bacalhôa Buddha Eden

No Bombarral, a apenas 15 minutos de carro de Óbidos, encontra o Bacalhôa Buddha Eden. Este é o maior jardim oriental da Europa e um local fantástico para visitar.

São cerca de 40 hectares com centenas de esculturas, onde se incluem 600 soldados terracota pintados à mão e mais de mil palmeiras.

Há ainda um espaço vocacionado para as Escultura Moderna e Contemporânea e um Jardim de Arte de Esculturas Africanas, dedicado ao povo Shona do Zimbabué, que há mais de mil anos esculpe pedra à mão.

Surfar a Foz do Arelho

Sabem que viagem comigo tem quase sempre de ter um bocadinho de surf e não é por estar de visita a Óbidos que isso tem que ficar de fora. 😉

Da vila medieval à Foz do Arelho são apenas 25 minutos e esta praia é fantástica para colocar a prancha na água.

Se gosta de surfar em bancos de areia e ondas com alguma força, este é o spot, principalmente se for verão e a ondulação estiver pequena.

Surf Foz do Arelho Portugal

Fazer um passeio de kayak na Lagoa de Óbidos

E já que estamos na Foz do Arelho e falamos de Óbidos, que tal uma atividade náutica naquela que é a lagoa mais famosa do Oeste?

Nesta minha viagem tive a oportunidade de fazer um passeio de kayak com a Intertidal, uma empresa de desportos de natureza e aventura. Mas este não foi um passeio qualquer. Pelo contrário. Fui acompanhada pelo Miguel Castro, que não só é um praticante de kayak super experiente, como é biólogo e mostrou-me a lagoa como nunca antes tinha imaginado.

Com ele aprendi a reconhecer amêijoas, berbigão e canivetes, por apenas olhar os furinhos que fazem na superfície da areia, descobri a salicórnia e até provei algas comestíveis.

Também não ficou de fora a tradição das gentes que faz da Lagoa de Óbidos o seu modo de vida. Falei com os apanhadores de marisco e aprendi mais sobre os barcos que percorrem esta mancha de água salgada que um dia chegou mesmo às portas do Castelo de Óbidos.

Intertidal Lagoa de Óbidos Lagoon

Já outras vezes tinha ido a Óbidos, mas estava longe de saber que a vila tem tanto, mas tanto para oferecer. Espero que este pequeno guia ajude a tirar o melhor partido de uma visita e se tiver outras sugestões de atividades ou locais a visitar, não hesite em partilhar na caixa de comentários em baixo.

Se gostou deste post, não se esqueça de partilhar com os amigos e nas suas redes sociais. Vamos espalhar a palavra! 😉

Gostou do Post? Faça PIN e guarde para mais tarde!
Conheça ou não Óbidos, garanto-lhe que existem atividades que não vai querer perder naquela que é a vila medieval mais conhecida de Portugal.

Uma nota da Marlene…

Esta viagem por Óbidos contou com o apoio de vários parceiros, aos quais quero agradecer toda a simpatia e hospitalidade com que fui recebida. Mas, como sempre, todas as fotos e opiniões expressas são minhas, reflectindo de forma sincera a experiência.

VAI VIAJAR?
Prepare a sua viagem com os parceiros do Marlene On The Move!

↣ Use o Booking.com e escolha a sua estadia favorita aos melhores preços;
↣ Antes de viajar, faça o seguro de viagem com a IATI. Eles oferecem a melhor cobertura para viajantes e ainda tem 5% de desconto por ser leitor/a do Marlene On The Move;

Ao utilizar estes links para fazer as suas reservas, não vai pagar mais por isso e para mim faz toda a diferença! É com estas parcerias que consigo manter o blog, por isso a sua ajuda é preciosa! Obrigada desde já!

Comments